Sou um empresário ansioso? Veja se reconhece algum desses sintomas

Quando o dono de uma pequena ou média empresa vive em cima de expectativas, isso normalmente traz sentimentos de ansiedade, que prejudicam o desempenho de suas funções. 

Podem ser expectativas variadas: se a sua empresa terá sucesso ou não, se o seu negócio acumulará dívidas e prejuízos; se os seus funcionários vão entender o que precisa ser feito… dentre muitos outros pensamentos, que mais atrapalham do que ajudam.

E os sentimentos de ansiedade podem atrapalhar tanto a forma que você gere a sua empresa, te levando a pensar mais no futuro do que no presente; como a sua saúde e a sua vida pessoal, te levando a trabalhar mais horas do que realmente é necessário.

Para saber quais são os sintomas de ansiedade que qualquer empreendedor pode ter, eu, Marcelo Germano, fundador do EAG Empresa Autogerenciável, te mostro como reconhecer esses sinais, e de que forma você pode quebrar as expectativas para fazer a sua empresa prosperar.

Te desejo uma excelente leitura e reflexão! 

Quais são os sintomas de ansiedade? 

A ansiedade é uma condição que afeta a saúde mental das pessoas, quando há a preocupação excessiva com o futuro. Geralmente, está aliada a pensamentos catastróficos, como, por exemplo, “vai dar tudo errado”. 

É fundamental que você procure um especialista para diagnosticar o seu caso. Mas é possível reconhecer alguns sintomas mentais e físicos de ansiedade. Se você possui algum deles no seu dia a dia, especialmente na sua rotina como empresário, não hesite em buscar ajuda.

Alguns sintomas mais característicos de ansiedade são:

  • Angústia;
  • Insônia;
  • Falta de ar;
  • Náuseas;
  • Tonturas;
  • Medo e apreensão;
  • Tensão muscular;
  • Dificuldade de concentração;
  • Pensamentos catastróficos;
  • Taquicardia e dor no peito;
  • Azia e dor de estômago;
  • Preocupações excessivas com o futuro.

O que faz um empresário com sintomas de ansiedade?

Agora que você já sabe quais são os principais sintomas físicos e mentais da ansiedade, eu vou te mostrar como eles se manifestam em um empreendedor ansioso. 

O empreendedor ansioso é aquele que vive em cima de expectativas e preocupações. Esses pensamentos fortes em relação ao futuro podem paralisá-lo de forma que esse dono de empresa simplesmente se esqueça de agir no presente. 

Por isso, tem muitos donos de pequenas e médias empresas que vivem com medo de seus respectivos crescimentos. Muitos não sabem como agir diante da situação de prosperidade, e colocam barreiras que prejudicam o desenvolvimento desse negócio. 

São muito recorrentes os pensamentos ansiosos do tipo: “E se meu cliente reclamar disso?”, “E se os meus funcionários fizerem algo errado?”, “E se eu tiver uma dívida muito grande?”, entre outros. 

Esses pensamentos limitam as suas ações e impedem o crescimento da sua empresa, assim como deterioram a sua saúde. Por isso, ao invés de viver em torno de expectativas, um empresário ansioso precisa direcionar a rotina da sua empresa em torno de objetivos definidos. 

Eu vou explicar como a seguir.

Como agir contra a ansiedade

Quando você se deparar com o sentimento de ansiedade, saiba contorná-lo de forma inteligente: trabalhando nos objetivos que você quer definir para a sua empresa. E isso é possível a partir de um planejamento estratégico. 

Porém, existe um gap, isto é, um espaço muito grande entre o que a gente determina na estratégia e o que a gente executa na prática. Novamente: o empreendedor ansioso é aquele que pensa muito, mas que faz pouco, ou nada. 

Então como fechar esse gap? A partir de uma ferramenta muito simples que veda esse buraco entre a elaboração e a execução da estratégia.  Aqui no EAG, nós chamamos de MPE, meta, plano de ação e execução, mas ela é conhecida como PDCA – que vem do inglês “Plan, Do, Check, Act”, traduzido fica “Planejar, Fazer, Checar e Agir”.

Planejar

A gente deve trabalhar em cima de objetivos e não de expectativas. Então, a primeira coisa que você precisa fazer é planejar os seus objetivos.

Para planejar, você precisa determinar qual é o resultado que você pretende alcançar. Você precisa definir uma META a ser atingida e a forma como ela vai ser alcançada.

Dentro do PDCA, existe uma outra ferramenta chamada 5w2h, que utilizamos apenas na etapa Planejar. Ela também vem do inglês e consiste em 5 “w” e 2 “h”, que vou explicar a seguir:

  • What – significa “o que”. É o que você vai fazer para atingir aquele objetivo;
  • Why – significa “por que”. É o porquê de você estar fazendo isso para atingir tal resultado;
  • Where – significa “onde”. É em que local esse plano será executado;
  • When – significa “quando”. É quando você irá fazer este planejamento;
  • Who – significa “quem”. É quem é o responsável por elaborar este plano estratégico;
  • How – significa “como”. É de que forma esse plano será feito;
  • How much – significa “quanto custa”. É o quanto de dinheiro, tempo e material que será gasto para atingir esses objetivos.

Utilizar o 5w2h dentro do PDCA é muito simples. Saber os procedimentos básicos de como elaborar esse plano vai ajuda a fechar o gap entre a estratégia e a execução do plano de crescimento da sua empresa.

Fazer

Depois de planejar, vem a segunda etapa do PDCA, que é fazer (“Do”, em inglês). E não tem mistério: essa etapa é quando o dono da empresa sai para fazer o que foi determinado no planejamento.

É a fase de execução desse plano de ação. É quando, de fato, você vai colocar a técnica do 5w2h em prática, fazendo o que foi elaborado para atingir o objetivo que você determinou na fase de planejar. 

Checar

Quando as pessoas estão executando as coisas, é normal que elas esqueçam de acompanhar para ver se o objetivo planejado está sendo atingido ou não. 

Por isso, a fase do checar tem a premissa de visualizar o que foi planejado ou não, o que foi previsto, o que foi realizado, e o que funcionou ou não funcionou. Desta forma, essa etapa do PDCA consiste em parar de tempos em tempos para analisar se aquele plano está dando certo, ou se é necessário repensá-lo. 

Pode ser um acompanhamento semanal, quinzenal, mensal… depende do tamanho do seu plano estratégico. O que importa é reavaliar se você está atingindo aquele objetivo que você tinha proposto para a sua empresa. 

Quando você analisa o plano, você tem a oportunidade de melhorá-lo. E como se faz isso? Analisando tudo o que você vai traçar e agindo para corrigir as coisas que não deram certo, a partir de três perguntas muito simples: o que funcionou, o que não funcionou e o que poderia fazer de diferente.

Agir

Quando você checa o seu planejamento estratégico, revisando o que pode fazer de diferente para, enfim, atingir o resultado que você propôs lá no início do PDCA, é hora de partir para a última etapa: a de agir

Partir para a ação novamente, depois de revisar os principais pontos de seu planejamento, é a forma contínua de melhorar o que foi feito e alcançar o objetivo que você tanto quer para a sua empresa.

Ou seja

Por isso, o PDCA é um ciclo que nunca termina. Uma vez que você atinge um objetivo, você terá um novo, repetindo esses quatro passos constantemente. Quando você consegue executá-los de maneira disciplinada, você consegue fechar o gap entre estratégia e execução. 

Desta forma, você estará trabalhando com objetivos, e não com expectativas. Saber, o quanto antes, o que precisa ser feito em sua empresa é a melhor forma de lidar com o crescimento dela. 

Isso diminui qualquer resquício de ansiedade que você tenha, e te ajuda a trabalhar para fazer o seu negócio prosperar.

Considerações finais

Um empresário ansioso desenvolve sintomas físicos e mentais que podem dificultar a sua rotina de trabalho. Quando esse dono de empresa pensa muito no futuro e nos possíveis problemas que o seu negócio vai enfrentar, ele paralisa, pois já teria problemas o suficiente para tratar no presente.

Por isso, é fundamental que todo empreendedor tenha um plano estratégico para fazer a sua empresa crescer. Este é um plano contínuo, no qual esse dono tenha que trabalhar um objetivo por vez.

Só que, além de planejar, o empreendedor precisa agir para colocar esse plano em prática, por meio da técnica PDCA. Desta forma, ele consegue atingir os resultados que tanto espera para o seu negócio, assim como melhorar a sua saúde e bem-estar.

Trabalhar em cima de objetivos, e não de expectativas, é a solução para todo empresário ansioso.  

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para ajudar donos de empresas a acabar com o caos em que seus negócios se encontram e torná-los autogerenciáveis.