Sem tempo? É porque você está no papel errado dentro da própria empresa

Deixa eu te fazer uma pergunta muito séria: você está se sentindo sobrecarregado dentro da sua própria empresa a ponto de achar que nunca vai ter tempo para resolver tudo o que precisa? 

Se você respondeu “sim”, então esse texto é para você. Mas, antes, eu quero profetizar o seguinte: você, muito provavelmente, está desempenhando o papel errado na gestão da sua empresa.

“Mas como assim um papel errado? É possível isso, mesmo eu sendo dono?”

É sim e é mais comum do que se imagina. Por isso, eu, Marcelo Germano, fundador do EAG Empresa Autogerenciável, vou mostrar o que você pode estar fazendo de errado no seu negócio e na sua gestão empresarial. Depois, vou mostrar o caminho das pedras: o que fazer para sair do caos e focar no que realmente importa.

Desejo a você uma excelente leitura e reflexão!

Não é falta de tempo, é foco onde não gera valor

Antes de falar sobre a falta de tempo do dono de empresa e o por quê que isso acontece, eu vou falar o que, muito provavelmente, você está fazendo de errado dentro do seu próprio negócio.

Ao longo dos meus 24 anos como empresário, já cometi alguns erros de gestão empresarial que custaram as empresas que quebraram e a minha vida pessoal. Entender quais foram esses erros foi o divisor de águas entre o meu fracasso e o meu sucesso hoje. 

Aproveite esse momento para refletir se está cometendo esses erros:

Você não consegue gerir o próprio tempo

Provavelmente, você já falou ou ouviu alguém dizer: “Queria que o dia tivesse mais de 24 horas para conseguir fazer tudo que preciso”. 

Isso acontece porque há uma gigantesca falta de organização. Tem empresário que não consegue organizar uma manhã de trabalho. E perde horas, dias, semanas valiosas, apagando incêndios da operação / produção e resolvendo problemas – que não deveriam ser mais seus – ao invés de fazer a empresa crescer. 

Não estabelecer prioridades e não ter uma agenda estratégica semanal, são alguns indicativos de que você está fazendo uma péssima gestão de tempo. Para saber quais são os outros, recomendo a leitura do texto “5 Sintomas da má gestão do tempo no seu negócio” e ver como o dono do negócio pode se dar mal se prendendo à tarefas que não são (mais) suas na empresa.

Você não transmite o que espera 

Olha, é um mecanismo de defesa do ser humano culpar outras pessoas pelo o que está dando de errado. 

Se você está cheio de trabalho acumulado, provavelmente você já culpou os seus funcionários, os seus clientes, o cachorro, o papagaio… Mas você já parou para olhar para as suas atitudes?

Deixa eu te dizer uma coisa: a empresa é reflexo do dono. 

Se você sabe estabelecer processos e transmitir aos funcionários qual é o propósito de sua empresa, as chances da sua empresa prosperar são muito maiores. Este é um sinal claro de uma boa gestão empresarial.

Por outro lado, se você não consegue lidar com imprevistos; quer tomar todas as operações da empresa para si e nunca se preocupou em alinhar a cultura, objetivos e propósitos da empresa com seus funcionários… a tendência é que a gestão da sua empresa esteja indo de mal a pior e você não está sendo um dono de empresa eficaz.

Você está deixando a sua vida pessoal de lado

Outro grave erro que muitos empresários cometem e que você também pode estar cometendo, é trabalhar tanto, mas tanto, a ponto de deixar de tirar um tempo para si e sua família. 

Tem muito empresário que acha que é acompanhando a operação no detalhe que ele irá lucrar mais e proporcionar mais conforto aos filhos e companheiros. Só que o excesso de trabalho pode afastar você de sua família, justamente aqueles que recarregam suas boas energias para continuar tocando seu negócio de forma positiva. 

Isso leva a consequências drásticas, afetando sua vida pessoal, trazendo essa carga negativa para a empresa e afetando o bem-estar e produtividade de todos, em geral. É como falei no tópico anterior: você tem o que transmite. Nesse caso, muito foco, no lugar errado.

Você já aceitou que a vida de empresário “é um caos mesmo”

Acreditar que a vida de dono de empresa precisa ser caótica para ser considerada de sucesso não é uma verdade e está longe de ser. Ou seja, que precisa realizar muitas tarefas ao mesmo tempo e que se deve fazer tudo sozinho para se tornar bem sucedido. A deixa perfeita para nunca sair do operacional e do microgerenciamento de todas as tarefas.

Mas se você já caiu nesse erro, já deve ter percebido que a tendência desse tipo de pensamento é justamente o contrário: esse empresário está sobrecarregado, ficando doente e está deixando pessoas de lado, enquanto não deixa seus funcionários trabalharem sem pedir autorização para tudo, mantendo eles infantilizados. 

Se você ainda crê nessa afirmação, repense sua função dentro da sua própria empresa e se pergunte: se você está fazendo a sua empresa funcionar, quem está fazendo ela crescer?

Indo para o lugar certo

Se você se identificou com um ou mais pontos acima, eu gostaria de dizer que isso tudo é realidade porque você está no papel errado em sua empresa. E esse é um grande motivo pelo qual a sua empresa não está decolando como você gostaria e você continua sem tempo para nada. 

Repare que a falta de tempo é motivada pelo excesso de trabalho, em todos os casos. 

Mas calma, eu vou mostrar algumas das soluções que eu apliquei nas minhas empresas. E, graças a muito esforço, trabalho duro e gestão empresarial de qualidade, fiz com que as minhas empresas crescessem.

  1. Repense e otimize a gestão da sua empresa

Antes de tudo, você precisa parar e repensar em como você tem feito a gestão da sua empresa.  

Lembra quando eu falei ali em cima que muitos empresários não olham para si na hora de apontar os culpados pelo fracasso de suas empresas? Pois é. Fazer o trabalho operacional, resolver todos os problemas, viver apagando incêndios…Tudo isso é indicativo de que você mesmo é quem está deixando sua empresa à beira do caos. 

Por isso, repensar a própria gestão empresarial é o primeiro passo para mudar de atitude. Depois, é necessário otimizar a gestão. Ou seja: você sai do trabalho operacional (para entregar resultados para os clientes, o que deve ser feito pelos seus funcionários) para exercer o trabalho estratégico da sua empresa.

O trabalho estratégico é aquele que deve ser executado pelo dono do negócio, onde ele precisa alinhar constantemente a empresa à sua cultura organizacional, desenvolver e capacitar seus colaboradores e estar em contato com o mercado.

Esse é o papel de um verdadeiro líder e que conta com o apoio de sua equipe, e não trabalha por ela. 

  1. Organize a sua rotina

Agora que você entendeu qual é o verdadeiro papel de um dono de empresa, é hora de se organizar!

Repare que, quem assume o trabalho operacional do próprio negócio, não consegue organizar o seu tempo, está sempre atarefado e fazendo tudo ao mesmo tempo. Por isso que falta tempo, certo? 

Então, organização é a palavra-chave em qualquer gestão empresarial de sucesso. Uma dica muito valiosa é adotar uma agenda e planejar a sua semana todo domingo, já começando a rotina sabendo o que tem programado para acontecer. Essa programação pode sofrer ajustes e contar com imprevistos, mas você estará muito mais “norteado” do que hoje, quando os imprevistos aparecem e você não sabia o que era prioridade antes e nem depois deles. 

Agora, sabendo que um dono de empresa deve focar no trabalho estratégico, fica até mais fácil – e prazeroso – organizar a rotina! Para saber como, recomendo a leitura do texto: “Você não precisa desejar mais horas no seu dia. É tudo uma questão de gestão do tempo”. Você verá que até aquela conversa de feedback de 5 minutos com seu funcionário precisa estar mapeada. E se possível, organize da mesma forma seus compromissos pessoais também. Assim você consegue se organizar com antecedência para dias em que vai precisar se ausentar da empresa.

Temos um vídeo em nosso canal sobre a agenda do dono, que também poderá te ajudar bastante nesse sentido:


  1. Faça reuniões produtivas

Outro ponto para você ocupar o papel real de dono de empresa, e assumir o trabalho estratégico do seu negócio, é organizar reuniões efetivas com os seus funcionários. 

O que seriam reuniões efetivas? Encontros rápidos e objetivos, com pauta e ata, para deixar seus funcionários a par do que é prioridade em um determinado período (para os menos maduros no negócio e que precisam ser guiados mais de perto); para acompanhar tarefas já passadas, ficando a par do andamento da rotina e sugerindo ajustes, se preciso (para aqueles mais maduros e preparados para receber um gerenciamento mais macro), dar feedbacks; alinhar objetivos e metas do período; alinhar qualquer mudança em metas anteriores. 

Eu sei que as pessoas geralmente não dão muito crédito para reuniões e costumam dizer que “ela poderia ter sido um e-mail”, mas isso acontece por que, a maioria das empresas não sabem priorizar reuniões para objetivos efetivos. Tente criar o calendário de reuniões com seus funcionários seguindo essa lógica acima e verá uma mudança prática na rotina de vocês.

Considerações finais

Erros graves, como viver atarefado no operacional e não conseguir fazer uma gestão de tempo eficiente, são provas vivas de que você está desempenhando o papel errado dentro da sua empresa. Estar sobrecarregado é sinal de que você está preso em funções além das suas. 

Um bom líder não precisa ficar sobrecarregado de trabalho, nem fazer mais do que lhe cabe. Essa crença de sucesso atrelada ao microgerenciamento impede o crescimento de muitas empresas, podendo levá-las ao fracasso.

Entenda: um empresário de sucesso é aquele que entende que o seu papel dentro da própria empresa, é o de focar no trabalho estratégico. Isto é, o de fazer a empresa crescer. Para isso, é preciso abrir mão do trabalho operacional, que é a parte de “colocar a mão na massa”, para os seus funcionários. Mas capacite-os para isso.

Tendo esse objetivo em mente, o dono de empresa que antes vivia atribulado, prestes a destruir a própria empresa, consegue se organizar, fazendo a parte que lhe cabe e delegando tarefas operacionais para os seus funcionários. 

Eu, por exemplo, quando entendi o meu papel dentro da minha empresa, vi as minhas empresas decolarem como eu sempre quis, e detalhe: em períodos que eu estava fora da empresa. Isso só foi possível fazendo o trabalho duro de alinhar a cultura e os propósitos que eu vislumbrava com meus funcionários, treinando-os e mantendo-os atualizados, acompanhando o desempenho deles sem sufocá-los e fazendo-os entender que a minha presença não deveria ser nenhum indicativo de performance.

Desempenhe o papel certo na sua empresa, que é o de fazê-la crescer.

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para ajudar donos de empresas a resolverem o caos em que seus negócios se encontram e torná-los autogerenciáveis.