Por que o empresário precisa do Mindset IPO com Vinícius Dutra

No episódio #089 do Podcast Empresa Autogerenciável, o convidado foi Vinícius Dutra. O entrevistado respondeu perguntas referentes ao Mindset IPO e sua importância para o empresário. 

O Mindset IPO é muito importante, principalmente se o seu objetivo como empreendedor é fazer com que sua empresa se destaque no mercado. Ele também é responsável por gerar lucros. 

Por que o empresário precisa do Mindset IPO

No episódio #089 do Podcast Empresa Autogerenciável, o convidado Vinícius Dutra, juntamente com Marcelo Germano e Aline, debateram sobre um assunto muito importante para gerar lucros e se destacar no mercado: o Mindset IPO

Segundo Vinícius, se você possui uma empresa e deseja ser bilionário, é essencial possuir e buscar pelo IPO. Mesmo que existam várias riquezas no mundo, é importante buscar pelo Mindset.

Basicamente, IPO significa a primeira vez que as ações de sua empresa são ofertadas. Trata-se de uma oferta pública, sendo essencial para a sua primeira vez. 

O que é Mindset IPO?

De acordo com Vinícius, “IPO é a primeira vez que você faz a oferta de venda das ações de sua empresa, que seria a oferta pública, a oferta inicial”. De maneira simplificada, significa um “mercado que vende empresas e essas empresas estão vendendo um pedaço delas”.

Mas é muito comum que ocorra a venda de partes dessa empresa, não ela por completo. Segundo Vinícius, essa é uma “maneira de capitalizar tanto a pessoa física quanto a jurídica de sua empresa”. 

“Esse procedimento ocorre como uma planta, no momento que você para de regar ela, ela começa a murchar”. E os empresários podem chegar em um ponto onde não tem mais saída, a empresa vai falir. 

Então, a mentalidade do IPO é basicamente essa, “fazer com que o seu negócio prospere, e uma vez que você vende e está dentro dos critérios da bolsa de valores, você consegue fazer com que seu negócio seja perpetuo”. 

Quando o empresário segue a mentalidade de IPO, existem vários cases que podem ser realizados. Mesmo as empresas que começam com apenas cinco colaboradores, já precisam pensar em como crescer e alavancar o seu negócio dentro do mercado. 

Qualquer empresário pode ir para a bolsa de valores?

“Existem dois tipos de empresários, aqueles que querem começar devagar com o capital próprio e aqueles que irão tomar dívidas ou vender parte de sua empresa para investir dinheiro dentro dela”. 

No cenário estratégico, segundo Vinícius, o que ocorre é o seguinte: “são muitas pessoas físicas e jurídicas que chegam e oferecem o dinheiro para que ele seja administrado. A partir do crescimento dos fundos, as taxas de juros são diminuídas”. 

Segundo Marcelo, “há pouco tempo atrás, as pessoas que tinham dinheiro aplicado, recebiam 1% ao mês. Mas os juros são compostos e, no final do ano, eles ganham mais do que o valor proposto, pois tinham juros em cima de juros”. 

Ainda segundo Marcelo, “hoje esse 1% não existe mais, então aplicar dinheiro não rende dinheiro, inclusive, esse rendimento será negativo”. Isso acontece porque a inflação é mais alta do que a taxa de juros. 

De acordo com Vinicíus, “se você quer dinheiro do mercado financeiro, é importante seguir as regras. E cumprir as regras é simples: basta seguir suas próprias regras”. 

Marcelo acrescenta que “se você deseja criar uma empresa e gerar riqueza de verdade, você não pode tomar decisões baseadas em seu ego. Então, para isso, é fundamental criar regras e critérios que protegem a empresa do próprio dono”. 

“Imagine, você criou uma empresa e estabeleceu regras: conta de pessoa física para pessoa física e conta de pessoa jurídica para pessoa jurídica. E, para seguir suas regras, você estabelece metas e resultados. Se você gerar lucros, uma parte deles será enviado para determinado lugar”.

Basicamente, é importante que os empréstimos estabeleçam como será feita a distribuição dos lucros. Ao criar essa regra, você tem a obrigação de cumpri-la. 

Segundo Vinícius, quando você “abre uma empresa autogerenciável, você começa a se organizar e, uma vez organizada, ela tem valor no mercado”. E, no momento em que essa empresa possui valor no mercado, ela é capaz de gerar capital sem outras garantias. 

E, no momento que ela cresce como capital, consequentemente o acionista começa a ganhar mais. 

Como começar na área de investimentos?

Segundo Vinicius, os empreendedores devem entrar em contato com o seu banco e perguntar sobre as possibilidades de obter capitais. Uma das opções é entrar na área de investimentos, ou seja, mercado de capitais. 

Depois disso, a instituição encaminhará o empresário para o pessoal que ajuda a estruturar tudo isso. Quando um negócio é iniciado, o empresário sozinho não consegue vender os papéis, pois quem administra o dinheiro de seu fundo é o banco. 

Por exemplo, o banco Itaú possui o banco comercial, a área de investimentos e as DTVM. Basicamente, a DTVM de um banco são as pessoas que compram e administram os fundos de investimentos. 

Portanto, é fundamental que o empresário entre em contato com essas pessoas, pois é para ele que você quer vender seus papéis. No momento em que você entrar em contato com essas pessoas, será possível modelar o seu negócio e entrar no mercado financeiro.

Caso o banco não queira fechar acordos com você, é importante entrar em contato com outros bancos. Segundo Vinicius, “quando você trabalha com um banco, o empresário acaba se acomodando nas mesmas coisas, e esquece de ver várias oportunidades.”

No momento que você busca por novas opções de investimentos, perceberá que existem inúmeras possibilidades de obter dinheiro para alavancar o seu negócio. 

Tenha em mente que: “qualquer negócio que fica parado, é ultrapassado”. Mas quando você está organizado, o próximo passo é escolher quem você quer “para dançar”. Lembre-se que, “no momento em que você conseguir captar dinheiro, poderá alavancar o seu negócio”. 

Mas existem muitas pessoas que nem imaginam essa possibilidade e, para Vinicius, “se você não acredita nas possibilidade de sua própria empresa, não são as pessoas que vão investir nela que vão acreditar”