Planejamento estratégico: o que o dono de empresa ganha com isso?

O planejamento estratégico é uma das principais atitudes que um dono de empresa precisa fazer. Mas você sabe por que ele é tão importante e como fazê-lo? 

Se não souber, não tem problema. Neste texto, eu, Marcelo Germano, fundador do EAG – Empresa Autogerenciável, mostro quais são as principais vantagens desse processo e de que forma você deve organizá-lo. E acredite, Comandante: esse planejamento é capaz de salvar a vida do seu negócio. 

Quer ver só? Então continue a leitura e mãos à obra!

3 coisas que o dono de empresa ganha com o planejamento estratégico

1) Gestão de tempo

Ao traçar o planejamento do seu negócio, o dono de empresa tem muito mais clareza do que precisa ser feito. Dessa forma, ele consegue se organizar melhor para resolver pendências, correr atrás das suas metas, entre outras questões fundamentais para o crescimento do seu negócio.

Essa organização inclui a gestão de tempo fora da empresa. Quando esse dono de empresa sabe o que deve ser feito, e quando, ele não precisa ficar 12h, 14h, 16h por dia trabalhando, o que suga a sua energia e impede o cumprimento de demandas não só profissionais, mas também pessoais.  

2) Foco

Outro “presente” que o planejamento estratégico proporciona é o foco, porque ele dá as diretrizes do que realmente precisa ser feito para você atingir os resultados esperados. 

Quem estabelece prioridades e sabe quando elas devem ser feitas, consegue trabalhar em flow. E quando você tem foco, você aprende a dizer “não” para outras tarefas que aparecerem, o que é muito importante para a sua energia e para o crescimento da sua empresa.

3) Desenvolvimento de novos líderes

Para ser realmente assertivo, um planejamento precisa ser feito em conjunto com os demais gestores da sua empresa. Dessa forma, eles estarão por dentro do que precisa ser feito e vão te ajudar na busca dos resultados esperados, cada um trabalhando no seu departamento. 

Esse é um passo fundamental para qualquer dono de empresa que, eventualmente, vai precisar de ajuda conforme o negócio for crescendo. E isso é um fato: todo dono de empresa deve ter a capacidade de treinar e desenvolver novos líderes para que ele possa liberar o seu tempo e focar em estratégias vencedoras no seu negócio.

Inclusive, desenvolver novos líderes é uma forma de você sair da parte operacional e partir para o trabalho estratégico, que é o que você, dono de empresa, precisa desempenhar no seu negócio: um trabalho focado no crescimento dele.  

Como fazer um planejamento estratégico?

O primeiro passo é reunir os seus gestores, preferencialmente no final do ano. Nesse encontro, cada gestor deve apresentar os indicadores de seu departamento ao longo do ano, ou seja, quais foram os resultados que eles obtiveram naquele período. 

Com esses dados em mãos, vocês conseguem ter uma visão geral do negócio e saber exatamente o que precisa ser feito para manter ou para melhorar os resultados no próximo ano. E o que eu aprendi, Comandante, é que para esse planejamento ser ainda mais assertivo e garantir que as suas estratégias estejam certas, vocês precisam focar em fazer uma coisa só por vez. Sabe como descobrir isso? Pergunte-se: “qual é a única coisa que eu preciso fazer e, ao fazê-la, todo o resto se torna desnecessário?”. 

A partir dessa pergunta, vocês vão fazer um planejamento mais certeiro e, a partir dele, vão elaborar planos de ação para executar tudo o que vocês se proporam a fazer.

Mas como elaborar esses planos de ação? Existem 5 âmbitos que precisam de planejamento estratégico: cultura organizacional, ambiente externo, ambiente interno, estratégia de negócios e estratégia corporativa. Neste outro post, eu indico um business game que ajuda muito a colocá-lo em prática. A seguir falo mais sobre eles.

1) Cultura organizacional

Ela é a grande responsável por permitir que o seu negócio atinja os objetivos propostos. Afinal, não adianta nada ter um planejamento perfeito se a cultura da sua empresa apresenta pontos falhos, como: entregas fora do prazo e ausência de responsabilidade. 

Por outro lado, empresas que incentivam o trabalho com foco, determinação, intensidade e responsabilidade implementam essa cultura no seu dia a dia, o que torna possível criar e executar o planejamento. 

2) Ambiente externo

Para ter planos de ação mais eficazes, você precisa analisar o ambiente externo para entender as mudanças econômicas, políticas, sociais e ambientes que estão acontecendo no mundo e de que forma elas impactam o seu trabalho. 

Também é extremamente importante analisar o que a concorrência está fazendo e o que os seus clientes procuram, de forma que você consiga adaptar os seus processos ao que os outros estão fazendo e desejando.

3) Ambiente interno

Além de analisar o ambiente externo, também é necessário observar o ambiente interno, ou seja, o que está sendo feito dentro da sua empresa e se todos estão desenvolvendo as competências necessárias para levá-la à frente da concorrência. 

Com a análise desses dois ambientes, você consegue identificar as forças e as fraquezas da sua empresa, e enxergar as ameaças e as oportunidades que o rodeiam. 

4) Estratégia de negócios

Nesse ambiente, você traça de que forma vai competir para crescer o seu negócio e se destacar da concorrência, como: por preço (para ganhar mercado) ou por diferenciação (que é a forma como o cliente percebe o seu negócio, diferenciando-o da concorrência). 

5) Estratégia corporativa

Nesse caso, você vai visar o seu planejamento estratégico pensando de que forma o seu negócio pode se expandir e para onde você dará o seu foco. 

O que fazer depois? 

Quando você faz um planejamento e sabe aonde quer chegar, o próximo passo é garantir a execução desse plano. 

Isso inclui em checar as entregas da sua equipe para saber se estão todos alinhados na mesma página e se tem mais alguma tarefa que precisa ser feita ou melhorada. Isso não é microgerenciar, mas sim controlar o pulso da operação e se certificar de que tudo está caminhando conforme o planejado. 

Uma forma de fazer isso é adotando o que eu chamo de walk the talk, ou gastar a sola de sapato. O que isso quer dizer? De tempos em tempos, você irá na operação do seu negócio averiguar se os seus funcionários estão trabalhando em cima do que vocês combinaram. Se estiverem, é importante reconhecê-los para eles se sentirem ainda mais motivados e engajados. Se não estiverem, você deve orientá-los e apontar as melhorias que devem ser feitas. 

E junto a isso, você precisa se reunir com os seus gestores, pelo menos uma vez por mês,  para vocês acompanharem o que foi feito, o que funcionou e o que não funcionou. Dessa forma, todos vão conseguir avaliar o que pode ser continuado e o que deve ser alterado, trabalhando em novos planos de ação. 

Considerações finais

Um planejamento estratégico é fundamental para garantir que uma empresa consiga atingir resultados e se tornar autogerenciável, ou seja, que tenha uma equipe autogerenciável e processos fluídos. 

Mas atenção: para que ele seja executado de forma eficiente, você deve lembrar que é importante gastar a sola de sapato, treinar os seus funcionários e não confundir a checagem dos processos com microgerenciamento. Caso contrário, você pode ter o planejamento mais lindo do mundo, mas ele não funcionará se você continuar errando nos mesmos pontos. 

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para te ajudar a acabar com o caos da sua empresa e a construir uma equipe autogerenciável que funcione sem depender de você.