Mentalidade de dono: o que significa e como transmitir aos colaboradores?

Eu costumo dizer que a empresa é o reflexo do dono. Isso quer dizer que as suas atitudes, como dono de empresa, impactam totalmente no andamento da sua companhia. 

Uma delas é a mentalidade de dono que, quando exercida, pode mudar completamente o ambiente de trabalho.

Mas preste atenção: você ser o dono da sua empresa não quer dizer que você tenha a mentalidade de dono. Dessa forma, não espere que os seus funcionários a tenham também.

Por isso eu, Marcelo Germano, fundador do EAG – Empresa Autogerenciável, preparei este texto que explica o que é essa cultura e como fazer seus funcionários aderirem. 

Boa leitura e mãos à obra!

O que é a mentalidade de dono?

É a mentalidade de qualquer pessoa que deseja ver a empresa crescer, mesmo não sendo, necessariamente, o dono dela. E ter funcionários com essa atitude pode ser tremendamente enriquecedor para o seu negócio. 

Você, como o efetivo dono da empresa, precisa entender dois conceitos que são a base dessa mentalidade: accountability (responsabilidade) e ownership (sentimento de posse).

A responsabilidade está atrelada às cobranças e às regras da empresa, o que gera pressão no restante dos funcionários. Eles vivem com medo de sofrer retaliação e trabalham não para apresentar resultados positivos, mas sim para evitar a punição. Você já deve imaginar o resultado disso: uma empresa estagnada, uma equipe desengajada e que dificilmente atingirá os seus objetivos. 

Já o sentimento de posse é aquele que o profissional enxerga o sucesso da empresa como um interesse de todas as partes, como se o negócio fosse dele. Por isso, ele se esforça para trabalhar em equipe e motiva os demais a colaborarem entre si. Isso melhora o ambiente da empresa e, consequentemente, os seus resultados. 

Parece um sonho, não é? Mas para você extrair esse pensamento positivo da sua equipe, saiba que isso só é possível se a sua empresa tiver uma cultura inclusiva e colaborativa. Caso contrário, uma empresa rígida pode até “podar” os colaboradores que já têm a mentalidade de dono natural. 

Como o dono de empresa transmite essa mentalidade aos funcionários?

Eu costumo dizer que o momento ideal para você transmitir a mentalidade de dono aos seus funcionários era lá no começo da sua empresa. Mas o segundo melhor momento é agora.

Por isso, o quanto antes você alimentar essa cultura, melhor será para os seus funcionários e para o rumo do seu negócio. 

Veja a seguir algumas formas de conseguir implementar isso na rotina da sua empresa. 

Influencie os seus colaboradores

Lembre-se de que você, como dono, precisa, antes de tudo, dar o exemplo para os seus funcionários. Isso foi o que eu disse lá no início: a empresa é o reflexo do dono. Se você não for um líder inspirador e colaborativo, consequentemente, a sua empresa não terá esse espírito. 

Por isso, procure influenciar os seus funcionários (conferindo-lhes sentimento de posse, ou seja, mostrando como se o negócio também fosse dele), e não busque comandá-los (o que desperta o senso de responsabilidade, ou seja, o colaborador só cumpre determinada tarefa para evitar uma possível punição). 

Meu conselho é: mostre-se à disposição para ajudá-los no que for necessário. E caso vocês dividam as mesmas competências, procure trocar ideias sobre as tarefas e compartilhar diferentes maneiras de solucionar o mesmo problema. 

Dessa forma, você engaja a sua equipe a se inspirar no seu estilo de gerência e a chegar no mesmo objetivo, mas cada um estará desenvolvendo autonomia para traçar as próprias rotas. Você precisa ser comandante da empresa, não das pessoas que trabalham nela.

Contrate pessoas com esse perfil

Eu costumo dizer que não conheço a fórmula da contratação perfeita, mas procurar trazer pessoas com a mentalidade de dono para o seu negócio pode ajudar – e muito – no dia a dia da empresa. 

Por isso, durante os seus processos seletivos, selecione as pessoas certas que podem ajudar você, inclusive, a estimular os demais funcionários e a enraizar esse conceito dentro da empresa. Isso é o que eu chamo de uma contratação certeira, ou seja, que será tremendamente enriquecedora para o futuro da sua companhia. 

Para identificar essas pessoas, você, dono de empresa, deve buscar por funcionários que comprovem resultados em experiências anteriores, que não tenham medo de dar ideias e que sentem que a empresa depende deles para crescer. 

Estimule a criatividade

Um ambiente de trabalho criativo desperta melhores ideias e melhores ações das pessoas, que se veem dispostas para colaborar em conjunto e para chegar a soluções mais efetivas. 

Pensando nisso, procure trabalhar a criatividade no dia a dia da sua empresa. Isso não significa, necessariamente, que você precisa comprar uma mesa de sinuca ou distribuir cervejas para deixar o ambiente mais divertido, mas sim estimular os seus funcionários a apresentarem ideias de outras formas. 

Você pode, por exemplo, tentar variar o local da reunião e incentivar estratégias como o brainstorming (que é a “tempestade de ideias”, na qual as pessoas falam e colocam no papel as suas ideias sem filtrá-las, à princípio) e o design thinking (uma forma criativa de organizar essas ideias, que pode ser por meio de mapas mentais, post-its e cartazes). 

Não importa a forma: estimular a criatividade deixa os seus funcionários mais à vontade para criar novos projetos, o que os torna empreendedores dentro da sua empresa. 

Considerações finais

A mentalidade de dono pode ser aderida por qualquer pessoa que deseja agregar resultados à empresa. Essa soma de competências e de habilidades ajuda a motivar os funcionários, a deixá-los mais satisfeitos dentro do seu negócio e a criar um ambiente de trabalho muito melhor de se trabalhar. 

Quem reúne uma equipe com senso de dono já está com metade da batalha ganha. Portanto, conheça as características desse tipo de profissional: 

  • tem interesse pela história da companhia;
  • tem interesse por estudar e por conhecer outras áreas além da sua;
  • consegue fazer o próprio trabalho de forma autônoma, mas entende a importância de colaborar e de trocar ideias com os colegas; 
  • procura saber sobre as metas e as métricas do seu negócio para ajudar a melhorá-las;
  • aceita feedbacks 
  • está aberto a escutar novas ideias;
  • sugere novas ideias;
  • oferece ajuda aos colegas, mesmo aos que não são da sua área;
  • não se deixa abalar pelos fracassos e pelos erros, sempre tentando mais uma vez. 

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para te ajudar a assumir o Comando do seu negócio e construir uma equipe que funcione sem depender de você.