Descubra o que você continua errando no planejamento estratégico da sua empresa

A maioria dos donos de empresa não fazem ideia do que é um planejamento estratégico. Ele sabem que precisam se organizar e prever situações, mas grande parte deles ainda não entenderam o que é, de fato, executar um trabalho estratégico. E essa confusão geralmente é o que compromete o desenvolvimento e os resultados do seu negócio.

Agora, se você acredita que já está fazendo seu papel corretamente, mas não está observando os indicadores da sua empresa subirem, você também precisa ler esse texto e parar de gastar energia em funções equivocadas. Nele, eu, Marcelo Germano, fundador do EAG – Empresa Autogerenciável, mostro 3 coisas que você está errando no planejamento da sua empresa e o que você deve fazer para melhorar seus processos e, também, os seus resultados.

Vamos lá? Boa leitura e mãos à obra!

3 erros comuns no planejamento estratégico de empresas

  1. Você está fazendo microgerenciamento

Isso é o que eu chamo de “delegar a responsabilidade do fracasso”. É quando você delega uma atividade para o seu funcionário, mas não dá autonomia que ele precisa para executá-la. Ou seja, você fica o tempo inteiro verificando o que aquele funcionário está fazendo ou, até mesmo, se ele está fazendo do jeito que você faria ou gostaria.

Sabe por que isso é péssimo para a sua empresa? Porque você cria funcionários dependentes, que nunca vão conseguir tomar uma decisão por si só, e elimina as chances de essas pessoas crescerem e muito menos de terem sucesso dentro do seu negócio. Em outras palavras, o cenário fica pesado, as coisas não fluem e não há confiança naquele ambiente. 

E essa atitude extremamente controladora também é muito ruim para você, Comandante. Afinal, se tudo precisa ser exatamente do jeito que você quer, você vai refazer o trabalho dos outros. Dessa forma, você vai ficar sobrecarregado de trabalho operacional e não vai cumprir o seu real papel: o de fazer a empresa crescer.

  1. Você não está gastando sola de sapato

Esse conceito resolve o problema de muitas empresas. Antes de explicar o que é “gastar sola de sapato”, eu vou detalhar o que acontece na vida de muitos donos de empresa. 

Às vezes, você tem a ideia de um procedimento ou de um processo, e acredita que ele vai funcionar perfeitamente. Porém, uma coisa é o que está na cabeça do empresário, e outra coisa é o que realmente acontece no dia a dia da empresa. 

Uma vez que você entende essa diferença, os resultados aparecem e a empresa começa a entregar o que ela promete. E para que isso aconteça, você, como dono de empresa, precisa gastar sola de sapato e garantir que as coisas vão ser feitas. 

Ou seja, gastar sola de sapato é sair do escritório, ir a campo e ver se os processos da sua empresa estão acontecendo na prática. 

Por exemplo: imagine que você tem uma loja e traçou uma jornada do cliente, ou seja, o que precisa acontecer para aprimorar a experiência dele e para que ele retorne outras vezes. Isso inclui alguns detalhes que são extremamente importantes, como o cumprimento que os seus funcionários dão, a postura deles e o sorriso no rosto. 

Só que não vai adiantar nada ter esse processo no papel, se ele não estiver sendo executado no dia a dia. Em vez de o seu cliente encontrar vendedores bem dispostos, ele se depara com funcionários mal humorados. Com certeza, ele não vai querer voltar na sua loja.

  1.  Você não está treinando os seus funcionários

Tem muito dono de empresa que planeja as coisas, mas não transmite o que deve ser feito aos seus colaboradores, e esse é um grande perigo para o crescimento da empresa. 

Se esse é o seu caso, então anote para não esquecer: treinar os seus funcionários e deixá-los a par do que deve ser feito na empresa também faz parte do seu planejamento estratégico, e é fundamental todos estarem na mesma página e atingirem metas com muito mais facilidade. 

E gastar a sola do sapato inclui, também, treinar as pessoas in loco, ou seja, ali no dia a dia e durante as suas operações, e dar registro dos pontos que precisam ser melhorados para o negócio crescer cada vez mais. 

A diferença entre “gastar a sola do sapato” e microgerenciar

A prática de “gastar a sola do sapato” envolve conversar, alinhar e treinar os seus funcionários, mas isso não significa microgerenciar.

O “microgerenciamento” é feito todo dia, toda hora. Já “gastar a sola do sapato” não deve ser feito sempre, e sim de forma esporádica, porque esse é apenas um modo de ir a campo e checar se os processos que você traçou para a sua empresa estão, de fato, acontecendo.

Dessa forma, você encontra uma oportunidade em identificar pontos de melhorias, reconhecer os funcionários que executam os processos pré-estabelecidos, corrigir processos errados e, assim, alavancar os lucros da empresa. 

Como melhorar o planejamento estratégico da sua empresa? 

Gastando a sola do sapato! E para mostrar como você pode fazer isso de forma efetiva, vou dar um exemplo bem prático. 

Vamos supor que você tem uma loja e já tem a jornada do seu cliente desenhada. Só que você precisa garantir que ela está sendo executada da forma como você imaginou.

Então, um dia, você deve sair do seu escritório e ir lá na operação, no ambiente da sua loja para observar. Assim, você observa qual é a abordagem que os seus funcionários fazem com os clientes, como eles tratam as pessoas que entram, qual é a postura deles e se eles se colocam à disposição. 

Essa é uma maneira de você conseguir observar quais são as falhas que estão acontecendo no processo, para conversar com o funcionário, apontar o que deve ser melhorado e treiná-lo, se for necessário. 

Por outro lado, também é nesse procedimento que você vai observar e reconhecer o funcionário que estiver cumprindo e executando os processos desenhados. 

Ou seja, no caso de observar a jornada do seu cliente, você vai elogiar o colaborador que estiver fazendo um atendimento impecável e vai reforçar esse comportamento positivo, até para o atendimento da sua empresa continuar melhorando cada vez mais.

Se você gostou desse conceito e deseja saber mais, eu abordei outros exemplos neste vídeo: 

Considerações finais

Fazer um planejamento estratégico vai além de traçar metas. É lógico que as estratégias precisam ser traçadas, mas esse trabalho também requer plano de ação e execução, com muita observação in loco, onde toda a magia acontece. 

Por isso, Comandante, não hesite em sair da sua sala ou do seu escritório, ir a campo para ver o que está acontecendo na operação do seu negócio, apontar as melhorias e reconhecer os trabalhos bem feitos. Afinal, os pequenos ajustes podem melhorar a performance da empresa como um todo. 

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para te ajudar a acabar com o caos da sua empresa e a construir uma equipe autogerenciável que funcione sem depender de você.