Da contratação à autonomia de processos: como montar uma empresa autogerenciável?

Ter uma empresa autogerenciável é o sonho de todo dono de negócio. Nesse tipo de empresa, você não precisa ficar microgerenciando cada tarefa, os seus funcionários sabem o que precisam fazer e entregar no final do dia e você consegue focar em expandir o seu negócio. Incrível, não é? 

Ao longo dos meus 24 anos como empresário, eu, Marcelo Germano, fundador do EAG – Empresa Autogerenciável, passei por vários perrengues para conseguir tornar os meus processos mais eficientes. Agora que obtive sucesso, eu quero compartilhar o que precisa ser feito para você ter um negócio que performe bem e que entregue os resultados esperados. 

Boa leitura e mãos à obra!

Contrate as pessoas certas

Comandante, quando eu falo em contratar as pessoas certas, eu quero dizer empregue profissionais que se identifiquem com a cultura do seu negócio.

Isso pode parecer um mero detalhe, mas faz toda a diferença na execução do trabalho no dia a dia. O funcionário que acredita no papel da sua empresa sabe, com mais facilidade, o que precisa ser feito para colaborar no crescimento dela

Consequentemente, as chances de você ter uma equipe madura são muito maiores, ou seja, uma equipe que saiba o que deve entregar, quando entregar e que consiga tocar as próprias tarefas sem que você precise microgerenciar cada passo. Essa é a grande premissa de uma empresa autogerenciável. 

Parece um sonho, não é? Então, como fazer isso? Anota aí, Comandante: não subestime a importância da contratação e esteja presente, de corpo e alma, nos processos seletivos do seu negócio, mesmo que você tenha um representante de RH. Um líder que bate meta com o time fazendo certo precisa atuar junto com o seu RH para trazer as pessoas certas para a sua empresa.

Quando você já sabe o tipo de pessoa que deseja contratar, o que perguntar na entrevista, quais são as competências comportamentais e técnicas que ela precisa ter, e procurar saber se ela já entregou resultados nas outras empresas que trabalhou, fica muito mais fácil encontrar o funcionário certo para a sua empresa. 

Delegue tarefas

O início de todo negócio costuma ser um verdadeiro show de um homem só. Só que, com o passar do tempo, a sua empresa vai se desenvolvendo e você precisa contratar funcionários para continuar tocando o negócio. Pois, um líder centralizador, que assume todas as tarefas para si, vai viver apagando incêndios, esforçando-se em tarefas operacionais que, na realidade, não deveriam ser feitas por ele. 

Comandante, você PRECISA entender qual é o verdadeiro papel de um dono de empresa: focar no trabalho estratégico do seu negócio, ou seja, em tudo aquilo que fará a sua empresa crescer. Os pormenores do dia a dia, que são o trabalho operacional, devem ser feitos pelos seus funcionários. 

Por isso, você não pode deixar de delegar tarefas para os seus funcionários, principalmente as tarefas que você não sabe fazer, ou que não são atreladas ao seu trabalho estratégico. Isso significa que você precisa determinar quando, como e onde ela deve ser feita, qual será o seu prazo final, e fazer com que o seu colaborador entenda o que precisa ser entregue. 

Agindo dessa forma, você vai melhorar as oportunidades de alavancar o seu negócio e torná-lo em uma empresa autogerenciável, utilizando a inteligência, os braços e o tempo de outras pessoas em prol do seu negócio. 

Ofereça equipamentos adequados

Segundo uma pesquisa realizada pelo instituto de pesquisas Gallup, um dos elementos que mais contribuem para o engajamento de um colaborador é a entrega de equipamentos adequados, como uma boa conexão de internet e computadores rápidos.

Tem muito dono de empresa que nunca parou para pensar sobre, mas isso pode impactar completamente a produtividade e a execução dos funcionários. Afinal, imagine ter um líder que fica cobrando, mas ter que trabalhar em um computador que demora 20 minutos para inicializar torna-se um pouco complicado, não? 

Por isso, pergunte para os seus funcionários se eles estão satisfeitos com os seus materiais, se tem alguma coisa faltando, e realize orçamentos para trazer melhorias para a empresa. Com toda a certeza, isso vai fortalecer a conexão do colaborador com o seu negócio, porque ele vai se sentir ouvido, acolhido e vai se esforçar para dar o melhor de si. 

Dê feedbacks

Uma empresa autogerenciável tem a cultura de dar e de receber feedbacks, porque eles ajudam a desenvolver os funcionários, faz com que eles se sintam mais motivados em bater metas e entregar resultados. 

Existem dois tipos de feedbacks: o positivo, que reconhece o trabalho do funcionário; e o construtivo, que aponta falhas e o que pode ser feito para melhorar. O ideal é que você, como dono de empresa, adquira o hábito de dar esses dois tipos de retorno, e que o seu funcionário consiga receber ambos, entendendo que eles fazem parte do crescimento profissional. 

Então, como dar um bom feedback positivo ou construtivo? Ele precisa trazer o momento em que determinada ação ou comportamento aconteceu, e explicar o seu impacto. Comece a fazer isso desde já e veja os seus funcionários mais motivados para entregar resultados. 

Considerações finais

Pode parecer bastante coisa, mas não tem jeito: ter uma empresa autogerenciável é para quem REALMENTE quer. Quando você trabalha duro, executando esses passos dia após dia, é gigante a possibilidade de ter uma equipe que corresponda às suas expectativas e que entregue resultados.

Inclusive, quando tudo está rodando bem dentro da empresa, ela tem condições para manter o seu corpo de funcionários e a economia girando em momentos de crise, como a que enfrentamos em 2020 e atingiu diretamente as PMEs.

Por isso, não perca mais tempo: coloque a mão na massa para criar, hoje, o negócio autogerenciável que você deseja no futuro!

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para te ajudar a assumir o Comando do seu negócio e construir uma equipe que funcione sem depender de você.