Como não ser negligente com o seu negócio

Caro Comandante,

Você pode estar sendo negligente com o seu negócio, e nem se deu conta disso.

E muito provavelmente, você está sendo negligente.

Mas não é sua culpa.

Nós somos instruídos pela escola, família, religião…

A seguir certas profissões.

Nós somos orientados a ser médico, engenheiro, professor…

Enfim.

No entanto, ninguém nos orienta quando percebemos, em nós, a vontade de mudar o mundo através do empreendedorismo, do empresariado.

E isso, acaba levando uma pessoa com grandes sonhos de abrir uma empresa, a ser negligente com o próprio negócio.

Antes de mais nada…

Se você não sabe o que é negligência, eu vou te explicar o que é isso.

O que é ser negligente

A negligência significa descuido.

Ou seja: um empresário que é negligente com a própria empresa, é um empresário que não tem cuidado com o próprio negócio.

E aí, ele acaba tendo ações que refletem na empresa, e impedem de que o negócio cresça de forma sustentável.

Por fim, para ser mais específico, vou falar o que um empresário negligente faz:

– Acorda muito cedo para trabalhar, e chega do trabalho muito tarde, pois trabalha 10, 12, 16 horas por dia;

– Passa o dia apagando incêndios e não faz o que deveria fazer;

– É negligente com o financeiro;

– Também é negligente com a contratação;

– É negligente com as metas;

– Com o desenvolvimento do time;

– Inclusive com a busca pelos próprios resultados;

– É negligente com a família, porque chega em casa exausto, e acaba comendo pizza fria e sozinho (pois todos estão dormindo);

– Negligencia a própria alimentação;

– E, consequentemente, a própria saúde.

E por aí vai.

Daí, a pessoa que faz esses tipos de coisas, acaba não liderando o time, não tem foco, não tem meta, não tem clareza…

E olha, esse é o pior tipo de exemplo que você pode dar para os seus funcionários.

Porque isso sustenta o seguinte tipo de crenças, nos funcionários:

“Se o próprio dono age assim, porque eu deveria agir diferente?”

E aí, você contribui para a construção de uma equipe e, consequentemente, de uma empresa autonegligenciável.

Esse tipo de negócio é aquele que:

– Não tem metas;

– Não há processos;

– Logo, foco em resultados não existe;

– Não tem clareza;

– Portanto, as pessoas não sabem exatamente o que precisam fazer;

– Ninguém sabe aonde essa empresa quer chegar;

– Não tem previsibilidade, e se sustenta na adivinhação;

– Não tem Feedback;

– Reconhecimento não é uma prática;

– Não há comemoração…

Em resumo, essas são características de empresas com donos negligentes.

E tomar consciência de que esses tipos de coisas estão acontecendo na empresa, é o

Primeiro passo para deixar de ser negligente.

E essa tomada de consciência é acompanhada da clareza:

Clareza de onde você está, de onde quer chegar, do que precisa ser melhorado e do que é necessário implantar.

A partir do momento que tudo isso está claro, você precisa ir para o

Segundo passo para não ser negligente:

Definir metas, traçar um plano de ação e executar o plano com disciplina.

Eu quero que você entenda, empresário, que é indispensável ter esses 3 pilares definidos, para poder identificar o que está funcionando e o que não está, durante a trajetória.

E esses pilares, são fundamentais para você construir uma equipe autogerenciável.

Conforme você vai deixando de ser negligente… você vai construindo uma equipe autogerenciável.

Se você não sabe ainda o que é, eu explico:

Uma empresa autogerenciável é uma empresa onde as pessoas começam a semana sabendo o que precisa ser feito…

E termina a semana entregando aquilo que elas são pagas para fazer.

Só que, para isso acontecer, uma empresa autogerenciável:

– Precisa ter gestão;

– Indicadores de gestão;

– Uma cultura forte;

– Liderança sendo executada com disciplina;

– Possui metas definidas;

– Tem metas claras;

– Cobra as metas;

– Possui processos bem definidos;

– Tem indicadores de processos;

– Acompanha as coisas que estão sendo feitas;

– As pessoas sabem o que precisa ser feito, e são cobradas por isso.

Vantagens de não ser negligente com o próprio negócio

As vantagens são inúmeras, quando se deixa de ser negligente.

Mas eu vou dar o meu exemplo:

Quando eu deixei de ser negligente com meu negócio…

Eu passei a ter uma empresa que bate metas, que não precisava de mim para funcionar…

Dentre diversas outras coisas.

Mas, o mais importante para mim, eu passei a não trabalhar apagando incêndios como antes, e hoje eu consigo ter qualidade de tempo com minhas filhas, e comigo mesmo.

Só para exemplificar outro caso, vou contar sobre o Robson.

Ele foi um cliente nosso que fez a Imersão EAG e hoje, consegue trabalhar com aquilo que faz os seus olhos brilhar.

E esses são resultados que tanto eu, quanto o Robson tanto queríamos…

E conseguimos atingir quando deixamos de ser negligente com o negócio.

Caso você tenha alguma dúvida sobre como deixar de ser negligente, eu vou deixar os vídeos abaixo:

Você pode aprender muito mais com nossos conteúdos gratuitos, disponíveis no YouTube, Instagram e Spotify.

Não tem desculpa, hein?!

É DE GRAÇA!

Vai lá!