O Que Fazer Quando Um Funcionário pede Para Ser Demitido?

Demitir Ou Não Demitir: Eis A Questão!

Caro comandante,

Muitas vezes você, empresário, tem um funcionário que, de alguma forma, está insatisfeito e quer ser demitido.

E a partir de circunstâncias como essa, podem acontecer duas coisas:

I- Ele chega até você e abre o jogo, pedindo para que o mande embora, e nessa situação, você diz que se ele quer ir embora, ele quem tem que pedir as contas;

II- Ou ele nem irá chegar a você e abrir o jogo: simplesmente, começar a causar situações para que você o demita.

Nessas situações você acaba perdendo dos dois jeitos.

E muitas vezes, o funcionário não quer pedir as contas e quer que você o mande embora, por um simples motivo:

Ele não quer perder os direitos que a legislação oferece.

Quer receber o Fundo de Garantia, Seguro Desemprego…

E se ele pede para sair, perde tudo isso e tudo o mais que ele tem direito, ao ser mandado embora.

Apesar da nova legislação trabalhista permitir a condição de acordo entre o empresário e o funcionário, ele ainda assim perde o Seguro Desemprego.

E o colaborador não quer perder nada; ele quer ganhar tudo, de todas as formas.

E se você não o demite quando ele pede, vai começar a criar situações.

Essas situações te tiram do sério, detona a cultura da sua empresa, e joga a rotatividade lá pra cima.

Inclusive, você pode perder bons colaboradores, por conta de um que acabou contratando de forma errada.

E você entra numa queda de braço com ele.

E no momento que você o mande embora, como ele pediu, automaticamente estará mandando um recado para todo mundo da empresa:

Que é só pedir para mandar embora ou ameaçar a empresa, criando situações estressantes, que conseguirá o desejado.

E aí, meu amigo, se alguém receber uma oferta melhor, ou estiver precisando de dinheiro, já sabem exatamente o que fazer para sair do seu negócio.

Então, você se vê diante de uma encruzilhada.

Nesse contexto, o empresário tende a não mandar o funcionário em questão embora, e tenta vencê-lo no cansaço.

Mas o período que ele fica na empresa também é ruim.

Você poderá muito mais tempo para reparar os estragos que ele fez, durante o tempo em que tentou “cansar” ele.

E agora, o que eu faço, Marcelo?

Eu já passei por isso várias vezes, e sei exatamente o que está acontecendo.

E eu gostaria de contar como você pode amenizar tudo isso, e melhorar a situação quando um funcionário pede para ser demitido.

Preparado, empresário?

Vamos lá!

Em uma das minhas estadias nos Estados Unidos, eu visitei uma empresa.

Vi todo o processo que eles colocavam em prática, e algo me chamou a atenção.

Quando eles estavam contratando a pessoa, logo de cara eles já davam uma opção à ela:

Se no período de experiência o novo contratado ver que não está gostando de algo na empresa, e até mesmo não se identificar com ela…

Eles pagam U$ 2.000,00 dólares para pedir para sair.

Parece estranho, né?

Mas há uma explicação.

Essa empresa acredita fortemente que é melhor o candidato sair logo no início, no período de experiência, do que não performar quando estiver trabalhando.

E aí, acaba diminuindo as chances de situações conflitantes, que alguém que não leva os valores e cultura da empresa a sério, pode causar.

E eu acredito que essa é uma mentalidade interessante para você, que é empresário.

Não que você vai disponibilizar U$2.000,00 dólares para o seu funcionário sair…

Mas sim, de trabalhar uma forte cultura organizacional e contratar a partir desse pilar.

E, só para lembrar:

Não existe contratação bala de prata. Não existe fórmula para contratar de forma tão certeira.

Eu falo mais sobre isso no post “Como Minimizar Os Erros Da Contratação Na Entrevista“.

E pode acreditar, empresário…

Se eu soubesse a fórmula da contratação, eu seria bilionário com B de bola.

Mas eu vou te mostrar o grande ponto, dessa minha reflexão, e o que eu passei a fazer nas minhas empresas.

Antes, todo mundo que minha empresa contratava, acabávamos efetivando.

E a sacada que eu repassei para o pessoal do RH e para os meus líderes, era a seguinte:

Nós tínhamos que ser assertivos durante o período de experiência.

E para isso, é necessário ter um olhar crítico, para entender que:

– Você precisa fazer uma boa integração desse funcionário;

– Alinhar com ele os objetivos e metas que o cargo exige;

– Alinhar as condições necessárias para ele permanecer na empresa;

– Fazer avaliação de desempenho desse funcionário.

Ao passo que, com um olhar crítico para esses alinhamentos e acompanhamentos de todo o processo, você vai conseguindo saber com 30 dias, se o funcionário continua ou não, na sua empresa.

Quando percebi a importância e eficiência do olhar crítico nesse processo, eu cheguei à seguinte conclusão e a comuniquei com meus líderes:

Eu vou ficar muito feliz quando uma pessoa começar a trabalhar e, com uma semana…

Vocês conseguirem identificar que ela não se enquadra no jogo que a nossa empresa joga.

Seja porque não tem os nossos valores, não tem a nossa pegada…

Isso significa que eu queria contratar os funcionários e mandar embora?

Claro que não.

Só queria identificar quem se enquadrava no jogo que minha empresa jogava, e quem não se encaixava.

E um dia, isso aconteceu.

E não partiu dos líderes, essa identificação.

Partiu de um dos integrantes da equipe em que o novo contratado estava.

A equipe identificou que a pessoa não queria nada com nada, que não performava, e eles mesmo repeliram a pessoa que não tinha os mesmos valores.

Conversaram com o gerente, mostrando que a pessoa não jogava o mesmo jogo que a equipe.

E isso acabou acontecendo mais vezes nas minhas empresas.

Mas o que eu quero dizer para você?

Eu quero dizer que, para aprender a demitir rápido e contratar devagar…

Você precisa fazer algumas coisas na sua empresa agora, para ter mais efetividade lá na frente.

Então, comece trabalhando uma cultura forte e de alto desempenho, para atrair pessoas de alta performance que entregam resultados.

Outra coisa:

Empresa que não cresce, não gera oportunidades.

Pois se a sua empresa não gera oportunidades de crescimento, os seus funcionários não conseguem engajar no longo prazo.

E se a sua empresa pára de crescer…

Aquele funcionário que é bom e que sempre performou bem, vai perceber que não há crescimento na sua empresa.

Então, ele vai acabar desengajando, e podendo até criar algumas situações conflitantes.

Por essa e outras questões, você, empresário, tem que buscar constantemente o crescimento da tua empresa.

E para isso, você tem que estar em desenvolvimento contínuo.

Se você não iniciou seu desenvolvimento ainda, dê o primeiro passo aqui, assistindo aos nossos conteúdos!

Se já iniciou essa jornada, continue aprendendo mais sobre como demitir aqui:

Acompanhe nossos conteúdos gratuitos no Instagram, YouTube e Spotify.

Você só precisa parar de dar desculpas a si mesmo e começar AGORA!


Vai lá!