5 sinais de que a gestão da sua empresa está indo de mal a pior

Pense em uma empresa com processos bem definidos e alinhados, na qual os funcionários desempenham o trabalho operacional, onde o dono executa o trabalho estratégico… parece uma empresa dos sonhos, não é? 

Não é uma realidade impossível de ser alcançada, se você, como empresário, fizer o real papel de um dono de empresa.. Você pode transformar a sua empresa em autogerenciável com uma gestão empresarial bem definida. 

Mas há uma série de erros que são cometidos por donos de empresa, que acabam conduzindo o negócio para o caos e até mesmo para a falência. 

Pensando nisso, eu, Marcelo Germano, fundador do EAG Empresa Autogerenciável, vou te mostrar os 5 sinais de que a gestão da sua empresa está indo de mal a pior, e como reverter esse quadro.

Te desejo uma excelente leitura e reflexão!

A gestão empresarial define o progresso

Muitos empresários se questionam acerca de como fazer as suas empresas andarem rumo ao sucesso. Tem gente que está parada no mesmo lugar há bastante tempo, e não sabe o porquê, mesmo acreditando que está fazendo um trabalho duro no próprio negócio.

Só que tem algo muito específico que podem ainda não terem te falado, que é o seguinte: a empresa é reflexo do seu dono. 

Se há um líder que sabe se organizar e transmitir aos funcionários qual é o propósito de sua empresa, isso acarreta em uma boa gestão empresarial daquele negócio. Logo, as chances daquela empresa prosperar são muito maiores.

Por outro lado, se a pessoa à frente dessa empresa não consegue lidar com imprevistos comuns na rotina de um empresário; se ela quer tomar todas as operações da empresa para si e não se comunica com seus funcionários, a tendência é observarmos uma empresa fadada ao caos. 

Por isso, a gestão empresarial define o modo de funcionar da sua empresa e quais são os rumos que esse negócio está tomando. Quando se há uma gestão falha, essa empresa não vai prosperar, continuará perdida no meio do caos. 

5 sinais de uma má gestão empresarial 

Se você vem observando que a sua empresa está parada no mesmo lugar, que não cresce, não se desenvolve, não atinge resultados… pode ser falha da sua própria gestão. 

Essa é uma verdade difícil de se enxergar. Afinal, ninguém quer se ver como o culpado pelo fracasso da própria empresa. Mas é necessário abrir os olhos e fazer um mea culpa (confissão da própria culpa), antes que seja tarde demais. 

Pensando nisso, vou te mostrar quais são os 5 sinais de uma má gestão empresarial agora, e como elas podem estar afundando o seu negócio. Em seguida, vou apresentar uma solução para resolver cada pendência:

  1.  Não dar importância à cultura organizacional da sua empresa

Esse é um erro clássico que muitos empresários cometem. Acredite: é o primeiro passo para ruir todo o andamento de uma empresa. 

Antes, vou explicar o que é cultura organizacional. É um conjunto que engloba, seus funcionários, valores, processos e como vocês juntos conduzem todo o funcionamento do negócio. Ou seja: é o jeitinho de ser da sua empresa. Ele existe, tenha você definido ou não. E se não partiu de você para seus colaboradores, mais difícil fica consertá-lo depois. 

Quando o dono da empresa não se preocupa com a cultura, as coisas acabam tomando um rumo próprio, nem sempre alinhado ao que o dono idealizou. Vira uma relação prejudicial de dependência, centralização, “rádio peão”… e uma série de crenças e costumes infundados e que não levam ninguém a lugar nenhum.

A solução: trabalhar na transmissão da cultura da empresa à todos os seus funcionários, da maneira mais alinhada possível, tornando todos cientes do que precisa ser feito e transformando a empresa em autogerenciável. É o que costumo chamar de “verdadeiro trabalho duro”, por que é o que mais dá trabalho dentro de uma empresa.

  1.  Não se planejar

Outro erro crucial que faz muitas empresas desandarem, é a falta de planejamento. Tem empresário que acorda sem saber o que vai fazer naquele dia. Ou então, que acha que vai conseguir resolver várias demandas em pouco tempo.

Esse dono de empresa perde horas valiosas, às vezes até um dia inteiro de trabalho, sem conseguir resolver algo efetivamente. Somente apagando incêndios e resolvendo pendências, ao invés de trabalhar para fazer a empresa crescer. 

Geralmente, essa falta de gestão de tempo não é algo pontual, é rotineiro, tornando a vida daquele empresário exaustiva e a de seus funcionários também. Por isso que a empresa não cresce, não sai do lugar. 

A solução: executar, todos os domingos – é, ser dono de empresa requer sacrificar momentos do fim de semana, ocasionalmente – um planejamento semanal, dividindo as tarefas que precisam ser realizadas em diferentes blocos, por ordem de prioridade, ao longo dos dias. Um dono organizado transmite a organização para suas operações.

  1.  Não separar a vida profissional da pessoal

Quando o empresário realiza o sonho de abrir o próprio negócio, é muito comum que ele comece a trabalhar por horas seguidas para fazer com que aquela empresa decole. 

Só que uma grande parcela desses empresários começa a trabalhar 12h, 14, 16 horas seguidas, e abre uma lacuna na vida pessoal, não dando a devida atenção à família. Isso também é uma gestão empresarial ineficiente. 

Ninguém precisa trabalhar por tantas horas assim.

Aqui no EAG, um dos nossos valores é INTENSIDADE. Nós temos que ser INTENSOS no nosso trabalho, entregando resultado e também ser INTENSOS quando estamos com a nossa família. Estar de fato PRESENTE quando estivermos com eles. Quando você abre mão da vida pessoal e só se dedica à empresa, você gera um desgaste muito grande não só em você mesmo, mas também no seu companheiro ou companheira, filhos e também nas próprias atividades pessoais.

E, quando a vida pessoal se resume em desgastes emocionais, a vida profissional também sofre. Afinal, um empresário desgastado tende a transmitir tudo de negativo que vem sentindo, inclusive na própria gestão, podendo levar a sua empresa ao declínio. 

A solução: saiba administrar bem o tempo que você passa no trabalho. Foque no trabalho estratégico e não no operacional. Com um planejamento semanal, você consegue separar a sua vida profissional da pessoal, e consegue passar um tempo de qualidade em casa com a família. 

  1.  Não delegar tarefas

No mundo dos negócios, a empresa é o reflexo do dono. É ele quem direciona a visão, contrata as pessoas, treina, demite, elabora um plano, estabelece uma meta e executa o plano para atingir o resultado. Mas para isso acontecer ele precisa trabalhar no ESTRATÉGICO da empresa.

Você não tem que ficar no controle de tudo, fazendo o trabalho operacional. Você tem funcionários que devem cumprir tarefas. Só que tem muito dono de empresa que, por falta de confiança, ou por achar que sabe fazer melhor, pega as tarefas desses funcionários para si. 

Dessa forma, há o acúmulo e a sobrecarga de trabalho. E nenhum trabalho consegue ser bem realizado dessa forma. É mais uma falha de gestão empresarial que pode comprometer todo o escopo da sua empresa.

A solução: delegue tarefas para os seus funcionários. Passe para eles quais tarefas que precisam fazer e lembre-se de capacitar e apoiar esse time, afinal faz parte do trabalho estratégico que você deveria estar fazendo e do seu papel como líder. Não há trabalho em equipe sem confiança, capacitação e motivação.

  1.  Não controlar as despesas financeiras

Uma empresa para crescer e se tornar uma grande empresa, ela precisa de GESTÃO FINANCEIRA. Você precisa entender sobre taxa de juros, de financiamento de operação, de fluxo de caixa, de lucro, de tributos…. Se não há o controle de todas as movimentações financeiras, é difícil mapear onde estão as suas despesas, bem como os seus lucros.

Assim, tem muito empresário que se perde completamente com o próprio dinheiro e faz uso pessoal, inclusive, do dinheiro da empresa. Toquei em um ponto sensível da sua rotina? Desculpe, mas é inadmissível se você quer crescer. 

A solução: controlar as despesas financeiras está associada à organização e ao planejamento da sua empresa. Organize para ontem a movimentação financeira da sua empresa e registre todos os gastos e ganhos. Visualizar e registrar finanças facilita, e muito, a vida e a saúde financeira de uma empresa. Se sua empresa já tiver em um patamar mais elevado de faturamento, é ideal que esse acompanhamento seja feito com a contratação de softwares financeiros específicos e por profissionais capacitados (Pequena Empresa – faturamento anual maior que R$ 360 mil e menor ou igual a R$ 4,8 milhões; Média Empresa – faturamento anual maior que R$ 4,8 milhões e menor ou igual a R$ 300 milhões).

Considerações finais

Você viu que a empresa é de seu Comandante. Se existem erros de gestão empresarial, eles podem comprometer completamente todo o trabalho de desenvolvimento de sua empresa. 

Muitos empresários não percebem que estão cometendo esses erros. Ou então, percebem, mas não querem admitir. Se você leu esse texto e se identificou com pelo menos um desses tópicos, saiba que é necessário mudar de atitude agora mesmo, para fazer a sua empresa crescer e sair do caos.  

Eu mesmo já cometi todos os erros dessa lista, ao longo dos meus 23 anos como empresário. Vivia em um verdadeiro caos e não sabia o porquê. 

Felizmente, aprendi e reuni recursos que me possibilitaram reverter o quadro, tornando minhas empresas em autogerenciáveis. E tenho orgulho de dizer que isso foi graças ao meu método de gestão empresarial. 

Por isso, espero que você leva em consideração esses passos para alavancar o seu negócio, bem como o seu sucesso como dono do negócio.

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para ajudar donos de empresas a acabar com o caos em que seus negócios se encontram e torná-los autogerenciáveis.