Não mande embora: 4 alternativas para manter uma equipe de alta performance

Tem muito dono de empresa que já pensa em mandar os seus funcionários embora logo nos primeiros instantes de uma crise. Mas quem pensa dessa forma perde grandes oportunidades de transformar essas pessoas em aliados e formar uma equipe de alta performance, que é capaz de bater metas constantemente e fazer aquele negócio crescer, mesmo em tempos instáveis.

Baseado nesse pensamento, eu, Marcelo Germano, fundador do EAG – Empresa Autogerenciável, trouxe 4 alternativas ao longo deste texto para não demitir e manter os seus funcionários, transformando-os em uma equipe de alta performance e ideal para o sucesso da sua empresa. 

Boa leitura e mãos à obra!

1) Mantenha os seus funcionários engajados

Quando eu abri a minha primeira empresa, em 1996, eu não sabia nada sobre engajamento. Na realidade, eu comandava as coisas de forma empírica: eu tinha uma ideia, seguia a minha intuição, mas não tinha método nem processos para fazer isso. Essa ideia vale, mas o ideal é identificar os seus funcionários para engajá-los de maneira que atenda a você e a eles.

Existem 3 tipos de funcionários: os que já são naturalmente engajados, os que são desengajados e os ativamente desengajados.

Os naturalmente engajados são pessoas que têm uma conexão profunda com a empresa. Elas amam trabalhar ali e vivem uma espécie de caso de amor com aquele lugar. Essas são as pessoas que vão gerar mudanças, colocar a mão na massa e aceitar todos os desafios nos momentos bons e ruins. Se as coisas não estiverem bem, esses funcionários sentem profundamente, mas se as coisas estiverem caminhando, eles vibram e sentem orgulho daquilo que fazem. 

Já os funcionários desengajados não têm conexão com a empresa. Isso não quer dizer que eles não gostam dali ou que são funcionários ruins, mas sim que eles executam o seu trabalho sem vibrar, sem dar novas ideias, sem ter uma grande paixão que os impulsionam a fazer diferente. E pode apostar que colaboradores assim são os primeiros a irem embora caso a empresa esteja mal das pernas.

Por fim, existem os funcionários ativamente desengajados, e esse é o pior caso. Pense em uma pessoa que está totalmente insatisfeita com a empresa, mas que não vai embora dali e vive boicotando tudo e todos. Infelizmente, existem muitos funcionários assim: eles produzem pouco, nunca entregam no prazo, fazem fofoca e passam muito tempo externalizando o seu descontentamento. 

Portanto, não precisamos nem ser videntes para saber que todo dono de empresa quer um funcionário engajado, não é? Mas saiba, Comandante, que 70% do engajamento de uma equipe é responsabilidades do líder. Então, a gente tem que trabalhar primeiro esse líder para ele entender o que precisa fazer e ter resultados mais certeiros.

Engajar o seu time significa cumprir bem o seu papel de dono de empresa. Dessa forma, você não precisa demitir ninguém durante uma crise. Quem não consegue fazer isso se torna o pior funcionário da sua empresa, e não terá com quem contar nas horas boas e, principalmente, nas horas ruins.

Neste vídeo, eu mostro alguns exemplos para você manter os seus funcionários engajados. Para o bem da sua empresa e da sua gestão, recomendo fortemente que você o assista:

2) Converse individualmente com cada pessoa

Para mim, a liderança é exercida através das conversas. É por meio delas que você vai conhecer a situação de cada pessoa e, assim, saber como você pode melhorá-la e desenvolvê-la, para que ela ganhe conexão e ame trabalhar na sua empresa. 

Eu costumo dizer que se você não se importa com o seu funcionário como pessoa, como você quer que ele, como pessoa, se importe com a sua empresa? É uma via de mão dupla, Comandante. Esse colaborador precisa ver que o seu chefe e a sua equipe se importam com ele como um ser humano para ele se sentir ainda mais motivado em fazer parte daquele lugar, bater metas e entregar resultados.

E preste atenção nesse segredo: se você apostar nessas conversas em tempos de crise, o seu colaborador se sentirá ainda mais acolhido e motivado para fazer a diferença. 

3) Trace planos para os seus colaboradores

Além de conversar com cada funcionário, você precisa estimular as pessoas a se desenvolverem, e uma forma de fazer isso é ter conversas de desenvolvimento, ou seja, traçar planos para cada pessoa da sua equipe.

Só que fazer isso exige energia do dono da empresa. Muitos deles entram na “fogueira” do piloto automático, vivem apagando incêndio, mas deixam de olhar para os seus funcionários, sem estimular o desenvolvimento das habilidades deles.

Por isso, você precisa se organizar para não deixar essas conversas de lado, exercer a sua liderança e traçar planos para motivar não só o trabalho, mas também a carreira dos seus funcionários.

Não tem segredo: tire um tempo do seu dia para sentar e conversar com aquele funcionário. Saiba onde ele quer chegar e aponte qual competência ele deve desenvolver para alçar grandes voos. 

Tente tornar isso um hábito para você: dar feedbacks sobre o desenvolvimento de cada pessoa, para ela saber se está no caminho certo ou se precisa de mais um empurrãozinho para prosperar. 

4) Desenvolva os seus funcionários em uma equipe de alta performance

Uma das funções mais importantes de um líder é desenvolver outros líderes e funcionários, que vão executar o que tem que executar, melhorar o que tem que melhorar e atingir os resultados necessários, tornando-os em profissionais melhores ao longo do caminho.

Infelizmente, não são todas as empresas que trabalham o desenvolvimento dos seus funcionários. Ainda é muito comum nos depararmos com equipes medianas e que performam de forma “meia boca”. Mas quando uma empresa se preocupa em capacitar as suas equipes, elas vão se destacar porque, consequentemente, os resultados vão aparecer.

No dia a dia, o mercado vai testando as pequenas e médias empresas. As coisas estão mudando muito rápido. Portanto, se você não ajuda o seu time a desenvolver as habilidades que são necessárias para fazer a sua empresa crescer, todos, sem exceção, vão ficar para trás. 

Por isso, procure desenvolver os seus funcionários e transformá-los em uma equipe de alta performance. Existem vários métodos que tornam isso possível e um deles é o Método Cumbuca, que foi ensinado pelo professor Vicente Falconi no livro “O Verdadeiro Poder”, e é baseado no comprometimento da equipe. 

Ele funciona da seguinte forma: todos os funcionários devem ler um ou dois capítulos de um mesmo livro, que deve ser baseado em alguma habilidade ou técnica que a empresa precisa desenvolver (por exemplo: liderança). Em um dia da semana, todos devem se reunir para discutir aquele capítulo. Daquilo que foi discutido, será elaborado um plano de ação que consiste em colocar aqueles ensinamentos em prática.

Porém, o fator “uau” do Método Cumbuca é que, a cada reunião, somente um funcionário será sorteado para apresentar aquele capítulo. Se ele não estiver preparado, então a reunião será cancelada e o encontro só acontecerá na próxima semana. Essa é uma forma de reforçar que todos devem participar e se comprometer para aquilo dar certo.

No EAG, nós aplicamos o  Método Cumbuca e o TALK EAG. Nela, cada funcionário deve estudar um livro, um curso ou um benchmarking de sua preferência e depois apresentá-lo para o resto da equipe. O tema será escolhido pelo colaborador, mas deve ser, de preferência, voltado ao desenvolvimento da empresa. 

Veja mais sobre como fizemos essa adaptação por aqui:

Considerações finais

Uma equipe capacitada e desenvolvida está pronta para qualquer crise, porque esse funcionário está alinhado e compreende o que deve ser feito naquele momento para continuar fazendo a diferença. Um funcionário bom rende 10 vezes mais do que um ruim, o que faz com que, consequentemente, as empresas com boas equipes tenham mais lucro e consigam atingir mais resultados do que aquelas com equipes medíocres. 

Se por algum motivo, você precisar diminuir carga horária, passar por um período de capacitação, reduzir salário ou qualquer outra necessidade, os funcionários engajados e desenvolvidos vão entender o porquê e, possivelmente, não vão questionar a sua decisão, já que existe uma gestão transparente, baseada na conversa e no desenvolvimento.

A questão é que você terá suas chances de chegar nesse cenário crítico bem reduzidas se estiverem todos desenvolvidos à altura. Portanto, é hora de transformar o seu time em uma equipe de alta performance para atuar junto a você em todos os momentos. 

O EAG Empresa Autogerenciável foi criado para te ajudar a acabar com o caos da sua empresa e a construir uma equipe autogerenciável que funcione sem depender de você.